0 Flares Filament.io 0 Flares ×

Quando um bebê nasce, os pais se deparam com um universo de desafios, alegrias, dificuldades e amor incondicional, que deve ser pautado também pela importância da proteção da criança.

Essa passa a ser a maior preocupação da família que, com o passar dos anos, tem que lidar com novas novas questões para manter o bem-estar e segurança dos pequenos. Um dever que os pais e/ou responsáveis dividem com o Estado, mas que se torna primordial para prezar pela integridade física e mental da criança.

Entenda os deveres da família na proteção da criança

O artigo 227 da Constituição Federal de 1988 aponta que: “É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança e ao adolescente, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, à cultura, ao lazer e à profissionalização, à liberdade, ao respeito, à dignidade e à convivência familiar e comunitária, além de colocá-los a salvo de toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão.”

A partir deste artigo foi promulgado mais tarde, em 1990, o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Com ele, a proteção da criança e do adolescente passou a ser resguardada pelas leis brasileiras. Mas, na prática, como cuidar para que eles estejam sempre protegidos?

Podemos resumir a resposta em três pilares fundamentais:

  • Garantir a sobrevivência;
  • Prezar pelo desenvolvimento pessoal e social;
  • Proteger a integridade física, psicológica e moral.

Por que é importante garantir a sobrevivência de crianças e adolescentes?

A taxa de mortalidade infantil já alcançou patamares assustadores há algumas décadas. Atualmente, o Ministério da Saúde chegou ao índice de 14,9 mortes para cada 1.000 nascidos vivos – sendo que a Organização Mundial da Saúde (OMS) considera aceitável o número de 10 mortes por 1.000 nascidos vivos.

O país conseguiu reduzir bastante esses índices com a implementação de políticas públicas na área da saúde, como medidas de prevenção de doenças e a democratização do acesso às vacinas. Diante deste cenário, a família deve cuidar para que a criança receba todos os cuidados recomendados para a sua saúde e sobrevivência em todas as etapas do seu desenvolvimento.

Como garantir o desenvolvimento pessoal e social?

Outro tópico importante do papel da família na proteção da criança e do adolescente é garantir seu desenvolvimento pessoal e social. E só é possível construir essa formação por meio da educação!

Além da escola – importante para garantir a formação intelectual necessária para o futuro – a família também deve cuidar para que seus filhos tenham acesso à cultura e ao esporte. Essa é uma combinação primordial para que a criança e o adolescente sejam inseridos na sociedade e desenvolvam habilidades socioemocionais importantes como:

  • pensar antes de agir;
  • saber se colocar no lugar do outro;
  • trabalhar em equipe e respeitar o outro;
  • ser capaz de superar perdas e frustrações;
  • entender comportamentos e sentimentos;
  • agir com honestidade e ética.

Integridade física, psicológica e moral

Outro pilar fundamental para o desenvolvimento infantil é garantir a proteção da saúde física, psicológica e moral. Isso é possível com a base de uma alimentação saudável, exercícios físicos e poder crescer em um ambiente saudável, com afeto e livre de traumas.

A família também deve ser símbolo de ternura e porto seguro em casos de abusos, agressões e bullying, protegendo a criança e o adolescente de qualquer ameaça à sua integridade física e moral. E que possam ter apoio psicológico sempre que for necessário!

Esse é um cuidado fundamental para proteger também a saúde emocional, contribuindo para diminuir os casos de depressão, estresse, ansiedade, fobias, agressividade, entre outros transtornos psicológicos.

Proteção da criança e do adolescente também engloba a comunidade

Um futuro melhor para todos, com crianças e adolescentes acolhidos da forma correta, só é possível se toda a sociedade se conscientizar para a importância disso.

É preciso educar e proteger com respeito e afeto, levantando cada vez mais os riscos que a violência e o autoritarismo têm na educação de uma criança. Cuidar do desenvolvimento saudável de crianças e adolescentes é o primeiro passo para a construção de uma sociedade mais justa para todos nós!

Conheça o trabalho realizado pelo Instituto Beija-Flor

O Instituto Beija-Flor é uma organização que atua no município de Colombo, região metropolitana da capital do Paraná. Há mais de 10 anos, a instituição atende crianças e jovens de 06 a 15 anos em vulnerabilidade social para promover seu desenvolvimento cognitivo, emocional e social.

Com base em práticas pedagógicas, a equipe do IBF realiza diversas atividades gratuitas no contraturno escolar, que envolvem música, arte, esporte, interação com o meio ambiente e cidadania. Além das oficinas, o IBF ainda oferece quatro refeições diárias e apoio psicológico que se estende às famílias.

Quer ajudar? É mais simples do que você imagina! Clique aqui e saiba como algumas atitudes simples podem transformar nossa sociedade.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×
Menu